terça-feira, 29 de julho de 2008

Se o cão butô pra nóis bebê, quem sou eu pra negar?


Mas é que se agora pra fazer sucesso, pra vender um blog de protesto, todo mundo tem que reclamar, eu também vou reclamar. E vai ser dessa tal de lei seca. Não pelos rigores da lei - não entendo p. nenhuma disso. Todas as reclamações já foram feitas (e todas as piadas também). Todos sabemos que quem mais sofre com isso somo nós, bons motoristas dotados de um fígado trabalhador (ou dois, como já colocou na prova um amigo meu), e, claro, as feinhas. Tenho algumas amigas feias. Muito feias. Muito muito feias. E não chove na horta delas a mais tempo do que não chove em São Paulo. E sim, a culpa é do álcool – ou da falta dele. Aposto como não demora para a parada gay ficar no chinelo perto da parada feia. Porque logo rola um protesto dessa galera na Paulista: “Se a lei seca não acabar / olê olê olá / Nóis vai penar”, ou “a lá” Ivete: lulinhaaa / lulinhaaaá / lulinha / libera o goró, lulinha!”. É muito fácil pro nosso presidente vetar a nossa mamadinha sagrada. Justo ele, o chefe maior do estado, o nosso pudim mór, que gosta mais da mangüaça do que gosta da mãe, não dirige mais. Ai dá pra enche a lata todo dia, né? Quem ta se dando bem são os guardinhas de plantão. O que tem de filho de puliça ganhando presente de natal adiantado não tá no gibi. E fora que tá caro. Com uma multa de 900 e cacetada a propina é grande. Já tem puliça andando com a maquininha da Visa debaixo do braço. Tá, mas você vai dizer: metade dos acidentes são causados por pessoas embriagadas. Você já percebeu que metade são causados por pessoas não embriagadas? Vamos tirar esses das ruas! Causam metade dos nosso acidentes. É como na velha piada que dizia que só somos os segundos maiores consumidores de álcool do mundo por causa dos evangélicos. E falando neles, meus amigos evangélicos da época de colégio foram todos reintegrados à turma. Dirigem que é uma beleza. E pra finalizar vou dar a dica de como burlar a lei. Não conte que fui eu, pode sujar. Mas, ó, dica do seu novo amigo Gus: carregue sempre uma garrafa de Whiskey fechada no carro (não é crime). Se você tiver tomado todas e for parado, é só abrir a garrafa antes de fazer o teste do bafômetro e tomar meio litro. O guarda nunca saberá se você estava alcoolizado antes ou depois de ter dirigido.

Gustavo Zotini

3 comentários:

Beca Moreno disse...

bom, Brasil sempre foi um exemplo no mundo todo em combate a AIDS, sem álcool não tem quem culpar por aquela 'metidinha' com a garota medonha, ou por aquele surto homossexual inexplicável, logo, menos sexo. E ainda de quebra tem um controle de natalidade nada abusivo.

Bebiana disse...

Já é tão dificil sermos nós mesmos hoje em dia, sem álcool então...

Renanscer disse...

Eu sou a favor da lei seca, pelo menos eu sinto diferença ao dirigir apos tomar dois copos de chop, mas pensnado no lado os feios..... hummmm poderia entrar uma lei em vigor pela qual toda pessoa que for pega embreagada e conduzindo um veículo terá a multa suspensa se o própio voltar a balada e fazer um feio ou feia feliz...

esse negocio de lei é foda,tem lei que fode o caminhoneiro que por sua vez se fode tendo que fazer entrega de madrugada rezando pelos filhos vindos d e uma foda, preocupado com a mulher que possa estar se fudendo junto ao padeiro, açogueiro, torcida do flamengo etc..
vc tocou no assunto sexo, ao pé d aletra a lei seca pode ser dolorosa e cair as vendas d e lubrificante e consequentemente... Uí..

conclusão final

acho que a única lei do momento é fazer leis, trata se da modinha do momento, uma tendência pós EMO.. aos poucos irão para o esquecimento. camimhões circularam normalemnte derrubando passarelas, o bahamas vai abrir novamente trazendo diversão par aquem invetam leis, nêgo vai poder encher a cara, e os padres poderam beber vinho e conduzir uma missa até encher a "bexiga"